• Celia Regina

Beata Elena Guerra e o apostolado do Espírito Santo

A Igreja Católica é um imenso mar de riquezas, repleto de Carismas e Dons que nos são apresentados cotidianamente. Igreja essa, que se ergueu sobre a Graça da Santíssima Trindade, que a sustenta pelo amor do Pai, a Vida do Filho e a Comunhão e o movimento do Espírito Santo.

Jovens em oração igreja católica
Créditos: Flávio Sá

Nesses mais de 2 mil anos de história, esse mesmo Espírito Santo, que é a alma da Igreja, tem suscitado em toda a face da Terra, homens e mulheres que escutaram Seu apelo interior e moveram-se para fazer conhecido e amado o nome de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!


Cada um deles de uma forma, atendendo um chamado específico. E quero aqui, tornar mais próximo e conhecido o nome de uma grande mulher e Serva de Deus, que dedicou sua vida e apostolado à causa e serviço do Espírito Santo: A Beata Elena Guerra.

Ela foi uma dessas escolhidas (chamadas) para anunciar como Apóstola, a Verdade e o Movimento do Espírito Santo no meio da Igreja.


Um pouco da história de Elena Guerra


Elena Guerra nasceu em Lucca (Itália), no dia 23 de Junho de 1835. Viveu e cresceu em uma família muito religiosa. Desde menina mostrou inteligência acima da média especialmente para o estudo das línguas e das artes. Em casa, estudou e aprendeu o Latim e o Francês, além de pintura e música.


Com dezenove anos, Elena Guerra aprendeu enfermagem e foi prestar seus serviços a doentes com cólera. Aí, além de demonstrar a caridade cristã que a movia, entendeu como a vida é frágil, assistindo a morte de tantas pessoas. Três anos depois, talvez devido ao contato com tantos doentes, ela contraiu uma doença misteriosa que a fez ficar de cama durante quase oito anos.


Durante este tempo, se dedicou à meditação da Palavra e ao estudo dos Escritos dos Padres da Igreja, a Patrística. Ela sabia que estudar tais escritos, , era “beber na fonte da nossa fé.”

Esse estudo foi determinante para o futuro da Beata Elena Guerra. A partir dele, alimentada pela Doutrina dos Santos Padres, ela criou entre os amigos que a visitavam, um grupo que ela chamou de "amizade espiritual". Estes a ajudaram a perceber e projetar um tipo de vida religiosa contemplativa.


Em 1865 Elena Guerra ficou curada de sua doença, misteriosamente.


Em Abril de 1870, Ela participa de uma peregrinação pascal em Roma juntamente com seu pai, Antônio. Nesta viagem, vivenciou muitos momentos marcantes, como a visita às Catacumbas dos Mártires. Estando ali, confirmou-se nela o desejo pela vida consagrada.

Por graça de Deus, assistiu a uma sessão do Concílio Vaticano I. Depois desse evento, voltou com mais fervor para Lucca. Lá, deu início à formação de uma comunidade religiosa feminina.


Sua obra teve Santa Zita, de quem ela era devota, como patrona. O carisma dessa Obra ia ao encontro de uma grande necessidade da época: a educação dos jovens.


Em 24 de Abril, assiste na Basílica de São Pedro a terceira sessão conciliar do Vaticano I, na qual vinha aprovada a Constituição “Dei Filius” sobre a Fé.


Ela faz uma visita ao Papa Pio IX. Isso a comove de tal maneira que depois de algumas semanas, já em Lucca, no dia 23 de Junho, faz a oferta de toda a sua vida pelo Papa.


No ano de 1871, depois de uma grande noite escura, seguida de graças místicas particulares, Elena com um grupo de Amigas Espirituais e Filhas de Maria, dá início a uma nova experiência de vida religiosa comunitária, que em 1882 culminará na fundação da Congregação das Irmãs de Santa Zita, dedicada a educação cultural e religiosa da juventude.


Na comunidade da Beata Elena não haviam votos, ela foi constituída de voluntárias, todas ligadas ao ramo da educação.


É neste período que Santa Gemma Galgani se tornará “sua aluna predileta”. Após ficar órfã, ainda menina, a futura Santa foi acolhida, por um certo tempo na comunidade iniciante, tempo durante o qual fez a sua primeira eucaristia. E viveu seus primeiros passos na fé, plantada em seu coração por sua mãe.



Veja mais formações espirituais em nosso canal do Youtube.





O apostolado verdadeiro


Em 1886, Elena sente o primeiro apelo interior a trabalhar de alguma forma para divulgar a Devoção ao Espírito Santo na Igreja. Então, escreve secretamente, muitas vezes ao Papa Leão XIII, exortando-o a convidar “os cristãos modernos” a redescobrirem a vida segundo o Espírito; e o Papa a atende, dirigindo à toda Igreja alguns documentos, que são como uma introdução a vida segundo o Espírito: A breve “Provida Matris Charitate” de 1895; a Encíclica “Divinum Illud Munus” em 1897 e a carta aos bispos “Ad fovendum in christiano populo”, de 1902.


Em Outubro de 1897, Elena é recebida em audiência por Leão XIII, que a encoraja a prosseguir o apostolado pela causa do Espírito Santo e autoriza também a sua Congregação a mudar de nome, para melhor qualificar o carisma próprio na Igreja: Oblatas do Espírito Santo.


A mensagem inspirada da Beata foi acolhida pelo Papa como um dom de Deus para a Igreja. Em sua recém fundada Congregação, porém, a maioria das irmãs ficaram contra ela e suas ideias. Chegaram ao ponto de retirá-la da direção da Obra que ela fundara. Foi um tempo de sofrimento e humilhação. As poucas irmãs que lhe eram fiéis confortaram seu coração. E, com a ajuda do Espírito Santo, ela aceitou o sofrimento com espírito de humildade e amor, aquele amor que ela nunca deixou de oferecer a todos.


A partir de então ela se dedica ainda com maior empenho à causa, aprofundando assim, para si e para os outros, o verdadeiro sentido do “retorno ao Espírito Santo”: Será este o mandato da sua Congregação ao mundo.

Elena dirigia a todos por meio de seus escritos, pequenos livros que ela preparava para orientar e aprofundar a fé cristã.


Os frutos dessa vocação


E hoje, com a aproximação da Solenidade de Pentecostes de 2022, é este mesmo apelo que O Próprio Deus nos faz. Retornemos à vida com o Espírito Santo. Uma vida que cultiva e faz florescer os Dons, Carismas e Virtudes inspirados por este Espírito.


Fomos inseridos nesse mistério, através de nosso batismo e confirmados com o Sacramento do Crisma. Somos convidados a viver como os cristãos da primeira comunidade, aquela do Cenáculo.


Divino Espírito, Luz, Verdade, Amor e Bondade infinita, que habitando em nós como Doce Hóspede, nos torna capazes de produzir frutos de santidade, Te suplicamos, derrame em nós a Tua vida.

Orações ao Espírito Santo da Beata Elena Guerra (Escrito pelo Padre Eduardo Braga- da Ed. Cenáculo Universal)


Elena Guerra viveu sua vida, exortando e ensinando esse "caminho de retorno", à uma vida Pentecostal, conduzindo a Igreja e os fiéis a um conhecimento mais eficaz da Terceira Pessoa da Santíssima Trindade: o Espírito Santo.


Ela morreu no dia 11 de Abril de 1914, sábado santo, com o grande desejo no coração de ver “os cristãos modernos” tomando consciência da presença e da ação do Espírito Santo em suas vidas, condição indispensável para um verdadeiro "Novo Pentecostes"..


A Beata Elena Guerra, foi uma grande inspiradora do atual movimento pentecostal vivido na Igreja hoje através da Renovação Carismática Católica.


Em 1959 ela foi proclamada Beata pelo papa João XXIII que inspirado em seus escritos, convocou o Concílio Vaticano II, espalhando por todo o mundo a oração ao Espírito Santo, já tão conhecida por nós, pedindo que Ele renovasse a Igreja com as maravilhas de Pentecostes.


Sejamos nós estes Cristãos, acolhendo esse apelo, convidando o Espírito Santo para estar conosco todos os dias de nossas vidas. Amém!


Oração ao Espírito Santo composta pelo papa João XXIII


“Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra. Oremos: Ó Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito fazei que apreciemos retamente todas as coisas, segundo o mesmo espírito, e gozemos sempre da sua divina consolação. Por Cristo Senhor nosso, amém.”

Rezemos também, a oração à Beata Elena, pedindo à ela que conceda a nós o mesmo desejo de experimentar a Graça e intensidade do Espírito Santo em nossa vida particular e comunitária.


Oração à Beata Helena Guerra


“Ó Deus, que destes à Beata Helena Guerra a graça de compreender a importância e a força do vosso Espírito Santo, dai também a nós a graça de experimentá-lo em nossas vidas, para que, como a Beata Helena, possamos dedicar nossas vidas ao amor verdadeiro por todos aqueles que mais necessitam. Amém. Beata Helena Guerra, rogai por nós.”


Célia Regina

Vocacionada do Encontro

Comunidade Católica Instrumento de Deus