• Comunidade Católica Instrumento de Deus

Homilia: A força da Oração

A liturgia deste 17° Domingo do Tempo Comum fala a respeito da Oração.


Com Jesus, tudo pode ser mudado pela força da Oração

No evangelho (Lc 11,1-13), os discípulos veem Jesus rezar, a maneira que Ele reza, e sentem vontade. Pedem ao Mestre que os ensina a rezar e é quando Jesus recita as palavras do "PAI NOSSO".


Nosso fundador, inicia dizendo:


Aqui está o poder da oração, o coração do homem quando se volta para Deus, quando apresenta a Deus a sinceridade da sua vida.


Quando entende que tem um Deus, que é amigo. Que escuta o nosso coração e um coração que deseja estar com o senhor que deseja falar com o Senhor. Porque a oração é esse meio pelo qual a nossa vida está associada.


E é por isso, queridos, que neste domingo precisa permear a nossa vida. E este pedido dos discípulos a Jesus é interessante porque os discípulos vêem Jesus rezar à maneira como Jesus está rezando e eles sentem vontade. Eu estava aqui pensando a noite.


Falei Jesus, quantas vezes a gente olha para o nosso pai, para nossa mãe? E a gente deseja, em certos momentos, ser como eles aprendem aquilo que eles fazem. Quantos filhos é que um o filho vai aprender com o pai?


Às vezes a mesma profissão, o jeito de cuidar das coisas, aprender com a mãe, a maneira de cuidar da casa, a maneira de estar junto. Quantas vezes, quando criança, criança pede para o pai para aprender: “como faz isso? Eu quero fazer…”


Esses dias eu vi um pai colocando as crianças para lavar louça para Jesus. Exploração de novo. Mas não é ensinado desde pequeno? Com certeza o coração da criança vai se enchendo de vontade de fazer, de aprender.


E no meu coração eu pensava será que os nossos filhos, as pessoas que convivem conosco? Pedem para nós também ensinar a rezar. Pedem para nós ensinarmos as coisas do seu. Será que, de fato o nosso coração, as nossas atitudes são atitudes que transbordam a ponto das pessoas verem?


Ou será que a nossa oração é dirigida a Deus apenas nos momentos em que nós precisamos? Momento do momento em que nós não sabemos o que fazer no momento em que a morte visita nossa história, num momento em que o desemprego acontece.


Jesus em diversos momentos da Escritura vai aparecer rezando e são essas atitudes que vão impelindo o coração daqueles que estão ao redor no desejo de aprender e no desejo de estar. E nesse domingo o Evangelho o discípulo pede, o Senhor ensina nos, ensina nos a rezar e Jesus vai dizer quando rezar, de dizer Pai.


Santificado seja o teu nome. Que o teu nome seja conhecido. Pai, que o teu nome esteja acima da tua presença. Esteja acima de toda e qualquer situação. Venha o teu reino. Senhor, que a tua justiça, que a tua palavra venha no meio de nós.


Veja é uma oração onde nós vamos clamando. Muitas vezes a gente reza. O Pai Nosso não tem nem ideia do que a gente está pedindo. Em. Venha o teu reino. Senhor, que venha no meio de nós, o teu reino, que é o nosso redor, a justiça, o amor aconteça.


E continua. Dar à luz a cada dia o pão de que precisamos. Olhe às nossas necessidades, ao pai. Não nos deixe faltar o necessário. Olha só faz parte da oração, dá nos o pão de cada dia, do sabes, do que nós precisamos e perdoa nos.


Os nossos pecados, meu Deus, rezaram Pai Nosso em compreender que nós somos pecadores. Perdoa nos porque eu errei. Eu ainda, muitas vezes andando pelo caminho que não devo, perdoa nos. E a gente às vezes até reza errado. No Pai-Nosso, quando reza o Pai Nosso, a gente diz Perdoai, perdoai, a gente não tem que estar dando ordem para


Deus. E perdoai nos, perdoarem nos. Não somos nós que damos a Deus uma ordem. Senhor, perdoai, não perdoai-nos a um pedido, perdoai as nossas ofensas. Da mesma maneira, na mesma proporção que eu perdoo. Aqueles que me fizeram mal.


Na mesma proporção. Assim como eu exerço, exerci. O perdão, Senhor, perdoem me também, talvez não é um caminho contrário. Assim como eu o perdoou, Senhor da me o perdão. Não tem como se dirigir a Deus com um coração magoado, com um coração que não ama, com um coração que não perdoa.


Porque, queridos, o coração orgulhoso não consegue falar com Deus. Apenas um coração humilde, porque tem a graça de reconhecer a sua pequenez. Reconhecer que está neste caminho. O senhor, assim como eu, tenho me esforçado para amar, para perdoar as pessoas que estão ao meu redor.


Senhor, eu te peço, me perdoa. Porque as minhas atitudes, a minha maneira de viver ainda senhor, não é da maneira como deveria, como o senhor deseja. Perdoar em nós é um pedido e um clamor que o coração do homem ergue a Deus e não nos deixeis caírem.


Livrai nos do mal, Senhor e de ti. Que venha a força para que eu não permita que a minha vida entre no caminho errado. Se eu não conto com a força de Deus, se eu não contou com a presença de Deus, meu irmão, minha irmã.


A realidade vai tomando conta da nossa vida. Isso é fato. Até certo ponto da vida se consegue resistir. Mas existem realidades que, quando entra no campo espiritual, como o diabo, sabe o jeitinho certinho de nos derrubar. O diabo sabe o jeito certinho para nos afastar de Deus.


O diabo sabe o jeito certinho, a hora certinha. Não tem pressa. Ele sabe o momento certinho de agir. Para que a gente faça aquilo que a gente não deveria fazer. Livrai nos do mal. Não nos deixeis cair em tentação.


E poder perceber que a todo instante existem realidades ao nosso redor. Que vão nos colocando nesta dimensão, desse afastamento de Deus que é o pecado. E nós precisamos, queridos, veja aqui a oração que Jesus ensinar que é o Pai Nosso que a gente tanto reza, não se coloca numa postura porque a oração é isso, é falar com


A ORAÇÃO


“É uma atitude de orar, de falar com Deus, que gera em mim uma ação que gera em mim uma atitude. Toda vez que eu falo com Deus. Há uma manifestação nas minhas ações e é por isso que a gente tem que perceber que de fato a gente essa, a gente ora”


Quando você chega na igreja? Eu vejo muita gente vir aqui no sacrário. Alguns devem rezar o Pai Nosso, Ave Maria e outros oram o Senhor. Obrigado pelo dia de hoje. Uma oração. A experiência de Abraão Abraão vai fazer uma oração a Deus que escrever, aliás, é o primeiro a se aproximar de Deus e fazer uma oração


NA PRIMEIRA LEITURA


Abraão vai pegar aquela situação daquela cidade que está para ser destruída e vai conversar com Deus. Senhor. Eu estou assustado de que o senhor vai destruir aquele povo. O senhor disse isso no meio daquele povo. Tivesse 50 pessoas que rezam, que te amam, que vivem corretamente.


O Senhor vai destruir e Deus diz abra ou não abra. Olha só. Oração é comunicação do coração do homem com o coração de Deus. Quanto mais eu estou unido a Deus. Mas eu entendo a vontade dele. Quantas pessoas por aí?


Que vão dizer mal da Igreja, que vão dizer mal de como viver sem sabe o que isso? Falta de ou pra não falar daquilo que acha. Porque se tivesse o mínimo contato verdadeiro com Deus, escutaria, perceberia o que Deus quer.


Entenderia a vontade de Deus na hora da dor, na hora do sofrimento. Experimenta na sua vida o poder desta oração, que tem a graça de nos transformar, de nos fazer homens e mulheres de esperança e de fé. Quando eu falo com Deus, eu sei no meu coração vai brotando a certeza de que vai dar certo.


E se não der certo, do jeito que eu quero? Seja feita a vossa vontade. Eu vou olhar e vou perceber não. Aquilo era meu. Mas o senhor fez assim do teu jeito. O senhor não é do meu e isso não vai diminuir a minha fé.


Mas, muito pelo contrário, vai educar a minha humanidade para para que ela possa entender que ela não pode ser uma humanidade maior do que a vontade de Deus, a minha vontade. Ela precisa estar submissa a Deus, porque Deus é maior do que eu.


O meu relacionamento com Deus não pode ser um relacionamento de troca. A gente tem que tomar muito cuidado, porque muitas vezes a gente faz barganha com Deus, senhor. Se você fizer isso, eu vou na missa. Olha só que derrota.


Senhor. Se você fizer isso, eu vou lá pra Aparecida, gente! É obrigação, nossa. Como cristão, pelo -1 vez por ano vai visitar um santuário. É óbvio que nós podemos fazer sim as promessas de uma pessoa que ela estava desesperada porque ela fez uma promessa para Deus.


Prometeu algo para Deus. A graça aconteceu. Só que ela não estava conseguindo cumpri-la.


A gente tem que tomar muito cuidado, porque se eu me comprometo a fazer algo, tenho que fazer não fazer, porque Deus vai me castigar, mas fazer para educar a minha humanidade naquilo que é mais importante.


Quantas pessoas por aí fazem e vejam o que Deus faz por nós, queridos. Não é por causa daquilo que a gente vai fazer. O Coração de Deus. Ele é livre e não precisa do nosso sacrifício.


Ele te ama, Ele te abençoa. Deus deseja derramar graças. Cura, ação. Só que não somos nós que muitas vezes nos limitamos. Fazemos troca com Deus, Senhor, se você curar a minha filha, eu vou fazer isso. Deus não precisa da nossa troca.


Deus, que é o nosso coração sincero. Ele abençoa, ele derrama graça porque a nossa oração é sincera. É Deus. Eu vi que às vezes, imaginando, naquele momento em que a gente reza, reza por causa de uma situação, Deus escuta, mas Deus não escuta porque a gente está prometendo alguma coisa.


Eu imagino a alegria do coração de Deus, de ver que nós estamos nos voltando para ele. O problema é que depois que a gente recebe a graça, a gente cai na pirambeira. Depois que a gente recebe a graça, vá lá.


E o senhor foi andando até a Aparecida, acendia as três velas de um metro e meio de altura. Falou o senhor. Quando eu precisar, eu volto. Não tenha fé. Acredite. Não poder. De Deus, meu irmão. Tenha fé. Acredite.


No poder de Deus, meu irmão. Mais. Ter fé não é apenas quando o calo aperta. Não ter fé e viver cada dia pautado a sua vida. Neste diálogo está a amizade com Medeiros. Entender que quando eu rezei. Veja quantas pessoas já receberam graças na sua vida.


Mas não se converteu. Quantas pessoas já viram sinais da ação de Deus na sua vida e continuam afastados de Deus? Deus vai castigar? Não.


Cada um vai colher o que planta da vida. Esse fato? Mas as graças que Deus nos dá é a grande esperança e desejo de que nós possamos, a partir daquele momento, viver um tempo diferente na nossa história, viver um tempo diferente em nossa vida, queridos. Deus não entende o que o padre está dizendo. Nós precisamos amadurecer o nosso relacionamento com Deus. Amadurecer. Como dói o coração de uma mãe, de um pai quando seu filho só te procura quando precisa?”


A homilia de nosso fundador neste domingo seguiu em grande profundidade e você pode escutá-la por completo no áudio disponível neste post. (ABAIXO)