Pão de São João

"Poderás viver, então, do trabalho de tuas mãos, serás feliz e terás bem-estar."

(Sl 127, 2)

     No ano de 2011 houve a necessidade de arranjar alguma forma de arrecadar dinheiro para as missões. Foi então quando alguns irmãos da Comunidade deram a ideia de fazer pães recheados. 

     Porém esses pães estavam ficando um pouco fora do orçamento para a preparação, até que um amigo da Comunidade, o Frei Guilherme, nos apresentou a Congregação dos Inacianos que nos ensinou uma melhor forma de fazer nossos pães.     

     Assim começou a tomar forma o pão de São João, como ele é nos dias de hoje. Com o passar do tempo, percebemos que diante dessa missão podemos receber duas graças: suprir as necessidades financeiras e realizar também essa questão missionária que está intrínseca dentro da Comunidade, no qual utilizamos a preparação do pão, uma oportunidade para testemunhar, anunciar, partilhar, conviver e rezar. Chegamos até nesses momentos ajudar alguns irmãos em que se encontravam em situação de depressão, fraqueza emocional e desânimo.

     Todo o processo do pão é feito de uma forma orante, desde o momento de bater a massa, até a embalagem, estamos em oração, encontramos ali um momento em que ficamos em Estado de Graça e Comunhão com Deus.

 

 

 

 

 

 

 

"A realização do pão nos ensina a deixar as coisas acontecerem num processo natural, respeitar as demoras de Deus, além de ser uma ótima oportunidade de rezar a vida. Porque essa missão não é uma indústria, mas um momento em que pessoas serão alcançadas, tanto as que estão nas etapas de preparação, quanto as que irão receber aquele pão, pois pedimos a Deus que aqueles que irão consumi-lo, tenham as suas casas abençoadas e que cada um possa ser saciado de uma forma física e também espiritual."
(Vanderlei Ferrais - Moderador Geral)

    Hoje o  nosso pão é feito nas sextas-feira e temos os seguintes sabores e valores:

_MG_2481.jpg
_MG_2586.jpg
R$ 10,00

PÃO RECHEADO

R$ 15,00
Sabores: Coco, Chocopão, Goiabada,
Leite Ninho e Churros.

PÃO NORMAL OU AÇÚCAR